domingo, 27 de novembro de 2011

Entrevistas

“A entrevista é um método de recolha de dados através de conversação oral, individualmente ou em grupo, com várias pessoas seleccionadas cuidadosamente, cujo grau de pertinência, validade e fiabilidade é analisado na perspectiva dos objectivos da recolha de informações (Ketele, 1999: 18). Através de um questionamento oral ou de uma conversa, um indivíduo ou um informante-chave pode ser interrogado sobre os seus actos, as suas ideias ou os seus projectos.
A entrevista requer regra geral de alguma preparação, dependendo do tipo de entrevista a realizar – estruturada, semi-estruturada e não-estruturada. Carece de um propósito (tema, objectivos e dimensão em que vai ser realizada) e de uma definição muito clara do entrevistado. A partir da identificação e caracterização do perfil do entrevistado deverá ser escolhida a população a ser envolvida e que melhor se enquadra ao estudo.
Tratando-se de um método de forte relação entre entrevistado e entrevistador desenvolvendo-se num contexto de directo envolvendo pelo menos duas pessoas (onde a forma de agir e pensar poderão ser diferentes) o papel do   entrevistador é determinante para o sucesso da entrevista. Deste modo, e dependendo do tipo de entrevista e até do meio de comunicação em que a conversação irá decorrer, compete ao entrevistador criar um espaço de empatia, numa primeira fase, para motivar o entrevistado, numa segunda fase, para sustentar a própria entrevista. Segundo Carmo Ferreira (1998) : a influência do entrevistador no entrevistado, as diferenças que entre eles existem (podem ser de ordem racial, cultural, social ou geracional), e a sobreposição de canais de comunicação.
Deste modo, no momento da preparação da entrevista deverá ser equacionado o perfil do entrevistador e a partir daí ser escolhidos ou formar entrevistadores que respondam aos objectivos da entrevista.


A entrevista poderá ser caracterizada segundo alguns aspectos:


Quanto ao número de entrevistados:
  • Individual - Quando se pretende recolher informações sobre o entrevistado. Não requer obrigatoriamente uma estrutura rígida.
  •  Grupo – Quando se pretende recolher informação de vários participantes e características comuns.
 
Tipo de entrevista – quanto à sua estruturação:

a.    Não estruturada

Neste tipos de entrevista o entrevistado é convidado a apresentar o seu discurso a partir de um tema proposto apresentando-se o entrevistador como o papel de orientador intervindo para promover e encorajar o entrevistado a participar. O guião da entrevista apresenta apenas os objectivos e as linhas orientadoras desenvolvendo-se a conversa num contexto de fluidez.



b.    Semi-estruturada

É realizada a partir de um guião previamente elaborado, no entanto, este apresenta-se num contexto de orientação para a realização da entrevista. Consiste numa entrevista em que as perguntas assentam numa combinação de perguntas fechadas e abertas não se apresentando as mesmas por uma ordem rígida e com grande flexibilidade de adaptação ao entrevistado.


c.    Estruturada

É realizada com base num guião rígido onde está definido antecipadamente os objectivos e as questões a serem formuladas, para além disso, as questões respeitam um sentido lógico pré-definido. Esta entrevista requer do entrevistador uma papel fundamental uma vez que depende das suas capacidades a realização com sucesso do guião.


Relativamente aos temas em análise:
  • Directiva – O guião é apresentado de forma rígida e as perguntas serão dispostas de forma lógica.

  •  Semi-directiva - o entrevistador conhece os temas sobre os quais tem que recolher informação, mas a ordem e a forma de questionar é livre

  • Não directiva - convida-se o entrevistado a organizar o seu discurso a partir de um tema proposto e o entrevistador só intervém para encorajar.
 Referências biliográficas:

Sem comentários:

Enviar um comentário