sábado, 19 de novembro de 2011

Métodos de recolha de dados - análise de uma tese


Análise da tese: "O papel da Internet no processo de construção de conhecimento" de Cidália Neto (2006)


A investigação “O papel da internet no processo de construção do conhecimento : uma perspectiva crítica sobre a relação dos alunos do 3º ciclo com a internet” foi desenvolvido no advento do boom da utilização da Internet em Portugal através da introdução do plano tecnológico da educação. Foi com agrado que registei a leitura e análise desta tese representando um importante ponto de referência para futuros estudos face à considerável inversão do uso desta tecnologia.

Considerei particularmente interessante o claro reconhecimento que a preparação do individuo passava pela utilização das tecnologias da informação e da comunicação em particular pela introdução da internet. Este estudo, já de 2006 identificou as potencialidades que a Internet poderia oferecer ao desenvolvimento da capacidade de auto-aprendizagem e à construção do conhecimento evidênciando a sua importância para responder aos desafios impostos por uma sociedade cada vez mais globalizada.

No que concerne às questões propostas pela unidade o grupo em que estou inserida realizou uma importante reflexão sendo notório que este estudo apresenta relativamente a algumas questões alguma ambiguidade relativamente aos procedimentos e processos de investigação.

1. São apresentados claramente os objectivos de investigação que presidiram à elaboração do questionário? 
Até ao 3º capítulo a investigadora realiza um enquadramento e explora a temática da internet por vezes de uma forma complexa. Deste modo, foi possível identificar em várias fases da investigação referências aos objectivos da investigação.
 Neste sentido na página 13 foi possível identificar os objectivos gerais que nortearam a investigação:
  •  Verificar as condições de acesso à Internet (professores e alunos).
  •  Caracterizar a relação de professores e alunos com a Internet, numa perspectiva comparativa.
  •  Analisar as representações dos dois grupos, no que respeita à Internet e ao seu papel na sociedade, em geral, e na educação formal, em particular.
  • Averiguar a forma como os alunos realizam uma pesquisa na Internet.

A autora nas páginas 64 e 65 voltou a apresentar os objectivos de uma forma mais explícita e em alguns casos já com uma exposição especifica (ainda que a autora de tenha referido a eles como gerais):
  • Verificar a facilidade de acesso (ou não) à Internet.
  • Verificar a frequência de acesso à rede.
  • Apurar as razões de uma fraca navegação na Internet (se for o caso).
  • Identificar os interesses que motivam o acesso à rede.
  • Caracterizar a relação dos dois grupos com a Internet, em termos técnicos.
  •  Identificar as representações que os actores educativos têm acerca dos conteúdos presentes na Rede e sua organização.
  •  Verificar o grau de importância atribuída à Internet.
  • Aquilatar o grau de confiança relativamente aos conteúdos que circulam na Internet.
  •  Comparar as perspectivas e práticas dos dois grupos alvo.

Relativamente ao grupo de professores, pretendeu ainda:
  •  Caracterizar a relação dos alunos com a Internet, sob o ponto de vista dos professores, em termos técnicos e cognitivos.
  • Verificar se os professores ajudam os alunos nas suas pesquisas realizadas na Internet.

2.    São indicados os passos que estiveram subjacentes à construção do  questionário?
Ao longo da tese a autora apenas faz referência que decidiu construir um questionário com perguntas fechadas e de escolha múltipla. O porquê deste tipo de questão, qual a importância das questões para o estudo e mesmo número de questões fechadas e ou de escolha múltipla nunca foi referenciado.

3.    A amostra é claramente identificada?
Na página 65 a investigadora identificou a amostra, assim como os critérios que presidiram à escolha da mesma. Para além disso realizou uma breve caracterização dos vários grupos da amostra.
A sua escolha incidiu sobre uma amostra de dois grupos de indivíduos: os professores e os alunos.
A amostra dos alunos teve uma representatividade de 350 elementos de escolas do distrito do Porto e Bragança (3 escolas do Distrito do Porto e 2 escolas do distrito de Bragança).
A escolha destas regiões teve como o objectivo comparar resultados entre alunos da região do litoral e do interior, considerando a situação geográfica e a forma como os estilos de vida poderiam reproduzir respostas diferentes. Os alunos compreendiam a idade dos 13 aos 15 anos e com frequência dos 8º e 9º anos de escolaridade.
A amostra dos professores teve uma representatividade de 110 professores e neste caso a autora recorreu-se de docentes que se encontravam colocados nas escolas seleccionadas e que se disponibilizaram para apoiar a sua investigação ou a solicitar apoio a outros docentes. Neste caso, não consideraram as questões geográficos pelo facto dos professores em termos profissionais registarem uma grande mobilidade. Dessa forma, este aspecto não iria influenciar os resultados.
Problemas
No entanto, existem problema na  identificação amostra em relação aos objectivos propostos pela investigadora. De facto ela dirigiu o seu estudo ao 3º ciclo mas exclui o 7º ano de escolaridade que é um ano deste nível escolar o que não poderá posteriormente realizar conclusões considerando o ciclo referido.
Também não diz quantos alunos e quantos professores foram de cada região estiveram envolvidos neste estudo. 


4. É indicado o método usado na definição da amostra?
Para a definição da amostra a investigadora decidiu seleccionar escolas que obedeceram ao critério de interesse/disponibilidade de professores em apoiar a investigação e dessa forma viabilizar a aplicação dos inquéritos junto dos seus alunos e de outros docentes. Justificou a escolha geográfica, no caso dos alunos, como forma de comparação dos resultados entre o litoral e o interior, pelas aspectos geográficos desfavoráveis e pelas diferentes vivências dos mesmos. Também foi utilizado o critério da existência de computadores ligados à internet ligados na escola. Justifica a escolha dos alunos entre os 13 e os 15 anos pelo facto de estarem a entrar na fase da adolescência e dessa forma a rede mundial. Ainda e quanto aos professores foi decido na introduzir o critério geográfico por considerar que estes profissionais estão sujeitos a uma mobilidade constante não fazendo sentido este aspecto.

5.    O questionário usado foi objecto de validação prévia?
A investigadora recorreu-se de uma amostra mais reduzida de ambos os grupos (20 alunos e 10 professores) e disponibilizou-lhes uma primeira versão do questionário. Deste modo, foi possível avaliar algumas questões tendo a mesma a partir das dificuldades, das dúvidas surgidas e das sugestões que lhe foram transmitidas reformulado as questões 11 e 12 tendo, ainda, acrescentado tópicos às opções da pergunta 12. Isto é possível identificar na página 66. O motivo da escolha destes elementos para validarem o questionário não é esclarecido.
 6.  No capítulo da explicitação da metodologia usada há indicações sobre o modo de tratamento dos dados obtidos com a aplicação do questionário?
Na página 67 a investigadora apresentou de uma forma muito ligeira o método de  tratamento dos dados. Assim,  após a sua recolha dos inquéritos os mesmos foram sujeitos a tratamento estatístico com a aplicação do Excel (apenas se sabe isto).

Sem comentários:

Enviar um comentário